skip to Main Content
Rio (21) 2240 1981 | São Paulo (11) 3571 5113 Reservas on-line

Projetos Sociais e Ambientais
Cristalino Lodge

ESCOLA DA AMAZÔNIA

O Programa Escola da Amazônia, iniciado em 2002, foi uma co-criação da presidente da FEC, Vitória Da Riva e os biólogos Silvio Marchini e Edson Grandisoli. O objetivo é envolver os jovens no cuidado com o maior patrimônio natural do planeta: nossa biodiversidade. O público alvo do programa são professores e alunos, já que são eles, na relação de construção de conhecimento, a base multiplicadora deste processo.

MONITORAMENTO DA BIODIVERSIDADE DAS RPPNS CRISTALINO

A região amazônica de Mato Grosso está sob forte pressão de desmatamento, onde a fronteira agrícola e imobiliária avançam em direção à floresta. Nesta região, as RPPNs Cristalino, juntamente com outras unidades de conservação, fazem parte de um importante corredor ecológico. Devido à intensa supressão do habitat que sofre, e por abrigar grande biodiversidade, a Amazônia mato-grossense é considerada uma das mais importantes áreas para conservação, enfatizando a importância e urgência de esforços que promovam o conhecimento e a proteção de sua biodiversidade.

PROJETO FUNGOS DO CRISTALINO

O estudo sobre a diversidade de fungos ainda é escasso no mundo, conhecendo-se cerca de 7% de sua totalidade. São organismos imprescindíveis para o funcionamento dos ecossistemas terrestres e foco de uma ampla pesquisa, nas RPPNs Cristalino, em parceria entre a Fundação Ecológica Cristalino (FEC), o Laboratório de Micologia da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e a Parataxonomista Alemã Susanne Sourell.

PROGRAMA FLORA CRISTALINO

Com o objetivo de promover a conservação do Cristalino através da produção de conhecimento científico da flora da região, o Programa Flora Cristalino foi criado em 2006, por meio de parceria entre Fundação Ecológica Cristalino – FEC e Royal Botanical Gardens – Kew, do Reino Unido, com apoio da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT; Fauna e Flora International – FFI e Rio Tinto. Foi o primeiro estudo da flora no norte de Mato Grosso e como resultado 1.366 espécies de plantas vasculares (626 gêneros e 151 famílias) foram catalogadas, distribuídas em oito tipos de vegetação.

Back To Top